Follow by Email

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

ONU aprova resolução sobre direito à diversidade sexual



"Dia 17 de junho ficará registrado na história dos movimentos de minorias sexuais, pois a ONU deu seu sinal mais potente contra a homofobia e a transfobia”, comemora o Movimento de Integração e Liberação Homossexual (Movilh), do Chile. O Movimento festeja a aprovação da primeira resolução das Nações Unidas (ONU), através do Conselho de Direitos Humanos, sobre os direitos à diversidade sexual. Intitulada "Direitos Humanos, Orientação Sexual e Identidade de Gênero”, a resolução foi aprovada durante a 17ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos, em Genebra (Suíça), com uma votação acirrada de 23 votos a favor, 19 contra e 3 abstenções. No documento, apresentado pela África do Sul, recordou-se "a universalidade, interdependência, indivisibilidade e inter-relação dos direitos humanos consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos”.

O resultado da votação foi recebido com aclamação por parte dos representantes de organizações pelo direito à diversidade sexual que estavam presentes. "Em ocasiões anteriores, muitos países tinham unido declarações em favor dos nossos direitos, as quais foram somente lidas diante da ONU, sem votação. Agora estamos, pela primeira vez, diante de uma resolução”, explicou a ativista transexual do Movilh, Paula Dinamarca, no site do Movimento.

A resolução afirma que "todos os seres humanos nascem livres e iguais no que diz respeito a sua dignidade e seus direitos e que cada um pode se beneficiar do conjunto de direitos e liberdades (...) sem nenhuma distinção". O documento expressa também preocupação com os atos de violência e discriminação em razão da orientação sexual ou identidade de gênero.

O Conselho pactuou, ainda, uma solicitação ao Alto Comissionado de Direitos Humanos da ONU para que realize um estudo mundial sobre a legislação e as práticas anti-homofóbicas, além de identificar de que forma a legislação internacional pode atuar no combate a esse problema. Tal pesquisa, de acordo com a resolução, deve estar pronta até o final do ano, em dezembro. Também foi acordada a realização de painéis para discussão sobre o tema.

Segundo a organização Anistia Internacional, a resolução é coerente com a jurisprudência de outros organismos regionais e nacionais. Nesta semana, a Organização dos Estados Americanos (OEA), por exemplo, aprovou por consenso uma resolução que condena a violência e a discriminação por motivos de orientação sexual e identidade de gênero.

Antecedentes da votação

Durante anos, a oposição dos países da Organização da Conferência Islâmica freou qualquer avanço para aprovação de uma resolução como essa. Por outro lado, a aprovação de um documento sobre os direitos homossexuais e transexuais era promovida por vários estados ocidentais e apoiado por países da América Latina. Foi o respaldo dos países africanos que tornou a aprovação possível desta vez, ainda que por estreita margem de diferença.

A votação provocou um intenso debate entre o grupo de países africanos, presidido pela Nigéria, o qual era contrário ao documento. Um dos principais rechaços à aprovação veio do Paquistão que, seguido por outros países contrários, alegou que a orientação sexual e identidade de gênero se tratam de algo fora dos direitos humanos, o que foi refutado afirmando-se que a discriminação é um valor absoluto.

Na América Latina, Chile, Argentina, Brasil, Equador, Guatemala e México foram a favor da resolução. Além destes, membros da União Européia e Estados Unidos.



(Adital, com informações de Movilh, El Universal e Anistia Internacional)




segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Conselheiros Tutelares do Distrito Federal protestam


Os conselheiros tutelares de Ceilândia Sul, a 26 quilômetros de Brasília, permanecem no prédio da atual sede, mesmo depois de vencer o prazo de uma ação de despejo. O G1 tentou contato com o órgão, mas ninguém atendeu o telefone.
Nesta segunda-feira (5), conselheiros de outras cidades foram ao local para apoiar os colegas e prometem sair só quando o governo oferecer uma solução. O conselho atende, em média, 25 famílias por dia.
Os conselheiros tiveram 30 dias para desocupar o espaço, na QNN 17. O prazo terminou neste domingo (5). O dono do imóvel pediu na Justiça a liberação do lugar porque o aluguel, de R$ 3.273, está atrasado há 11 meses. Ele afirmou que vai informar o juiz sobre o descumprimento da ordem de despejo. O dono do imóvel disse que tem diabetes e precisa do dinheiro do aluguel para pagar o tratamento.
No dia 10 de maio, a Secretaria da Criança pediu à Administração de Ceilândia que providenciasse um novo espaço para o Conselho Tutelar. O local escolhido fica ao lado da biblioteca pública, na zona norte da cidade. São apenas duas salas sem divisórias, o que retira a privacidade dos menores que buscam atendimento. De acordo com a secretaria, o novo endereço é provisório. Uma solução definitiva deve sair em até dois meses.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Bolsa Formação do PRONASCI / SENASP - Não perca





Periodicamente, o PRONASCI / SENASP abre as insrições para os ciclos de curso a distância. As inscrições para o próximo ciclo ocorrerão em duas etapas. Na primeira, que vai do dia 13/08 a 15/08, o aluno só pode se inscrever em um curso. Na segunda etapa, nos dias 16 e 17/08, caso o limite de 200 mil vagas não seja atingido, o aluno já cadastrado, que não tenha evadido no ciclo anterior, poderá solicitar inscrição em mais um curso, até o limite previsto de 200 mil inscrições. As inscrições são realizadas no linkhttp://senaspead.ip.tv/, clicando no ícone "3) acesso a ficha de inscrição". A procura sempre é muito grande e, pelo que dizem, se você não fizer as inscrições no dia em que elas são abertas, já era! Todo mundo está de olho na bolsa formação de R$ 400,00 que está prevista a ser paga aos alunos cadastrados que receberem salário bruto abaixo de R$ 1.700,00. Prestem atenção: salário BRUTO abaixo de R$ 1.700,00 (valor calculado a partir da soma do soldo básico e adicionais). Mas é preciso lhe alertar que, para receber a bolsa, você deve se cadastrar tanto no EAD/SENASP quanto no Bolsa Formação, uma vez que os sistemas que os administram não são os mesmos. Você também deve procurar saber se seu Estado aderiu ao programa (aparentemente, só não aderiram ao Projeto Bolsa Formação os Estados do Amapá, Distrito Federal e São Paulo). De toda forma, procure a Seção de Recursos Humanos de sua instituição e se informe sobre a adesão ou não do seu Estado e também sobre outros detalhes. No site do Ministério da Justiça/PRONASCI existe um mapa indicando os Estados contemplados pelo projeto bolsa formação, contudo eu não sei se está atualizado. Clique aqui para acessar.

Os cursos tem como público alvo os policiais militares, policiais civis, militares do Corpo de Bombeiros, peritos e agentes penitenciários. A princípio, os guardas municipais também podem fazer os cursos, mas não sei informar se todos receberão a bolsa formação. O site do Ministério da Justiça diz que “o Sistema Nacional do Bolsa Formação – SisFor - ainda não está disponível para o cadastro de profissionais das Guardas Municipais, que ocorrerá somente após a finalização da formalização dos municípios no projeto, a qual compreende: a assinatura dos Termos de Adesão, com a devida publicação dos mesmos; a regulamentação da participação das Guardas Municipais no Bolsa Formação, nos termos da Lei nº 11.530/2007.”

Segundo o projeto, o aluno irá receber a bolsa (R$ 400,00) durante 12 parcelas / meses e só precisa fazer um curso a distância no ambiente virtual EAD / SENASP (Educação a distância / Secretaria Nacional de Segurança Pública). E a bolsa formação ainda pode ser renovada anualmente mediante a realização de um novo curso, desde que o profissional continue atendendo às condições impostas no Projeto, devendo ser solicitada a renovação do benefício mais ou menos 03 (três) meses antes do término. Os cursos são distintos para cada ciclo, e variam de 40 a 60 horas/aula. A duração média é de três meses entre inscrição, matrícula, desenvolvimento do curso e certificação. Moleza moleza, não é!? Então, companheiro, não deixe passar a oportunidade. Se você marcar bobeira, perdeu. Tem gente que me falou que vai até madrugar para fazer a inscrição para o próximo ciclo.

O pagamento é previsto a ser feito por meio de um cartão magnético da Caixa Econômica Federal (cartão social) enviado ao endereço constante na base do cadastro PIS do participante do curso. E se o cartão não chegar a casa do aluno? Bom, segundo o site do PRONASCI, "o profissional de segurança que não tenha recebido seu cartão social, deve procurar a agência da CAIXA mais próxima e solicitar a verificação da ocorrência. Para esses casos, o beneficiário poderá efetuar o saque do benefício disponibilizado na própria agência, com guia de pagamento, mediante a apresentação de documento de identificação e CPF. Caso o atendente da agência da CAIXA não identifique o benefício Pronasci – Bolsa-Formação, o beneficiário deverá solicitar ao gerente para contatar a sua centralizadora para os devidos esclarecimentos."

Mas fique atento para os critérios e condições para participar do curso e, por conseguinte, receber a bolsa $$$$$ (transcrito do site do PRONASCI):

1) Receber salário bruto abaixo de R$ 1.700,00 (valor calculado a partir da soma do saldo básico e adicional);
2) Não ter cometido e nem ter sido condenado pela prática de infração administrativa grave ou não possuir condenação penal nos últimos cinco anos; e
3) Realizar cursos de formação e educação continuada habilitados pelo Ministério da Justiça. 


Fique atento também para você não perder a bolsa. Se você deixar de cumprir pelo menos algumas das condicionalidades exigidas, será automaticamente desabilitado do Projeto Bolsa Formação. A saber:

a) Passar a receber salário bruto acima do valor estabelecido pela legislação;
b) Não cumprir regularmente o curso (evasão, abandono, freqüência abaixo do permitido e reprovação, no caso dos cursos a distância);
c) Estar em situação de inatividade (aposentadoria), falecimento, decisão ou ordem judicial impeditiva, não apresentação tempestiva da documentação solicitada (contra-cheque, certidões) ao Gestor Estadual.


A bolsa formação faz parte de uma das 94 ações do PRONASCI - Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania - e existe a previsão de que sejam gastos com o programa R$ 6,707 bilhões até o ano de 2012.

Segundo o site do PRONASCI, serão oferecidos trinta cursos. Para a atividade operacional, destacam-se os cursos de gerenciamento de crise, uso progressivo da força, busca e apreensão, emergência pré-hospitalar, identificação veicular e técnicas e tecnologias não letais de atuação policial.

Aviso importante: Após fazer a inscrição e cadastro do seu CPF no sistema EAD, você deve esperar a senha ser enviada ao seu e-mail. Pessoas que fizeram o curso me disseram que pode demorar alguns dias para que a senha seja enviada ao e-mail do interessado.

Se ficou algum dúvida ou se você deseja saber mais informações sobre a bolsa formação, sobre os cursos, sobre como se inscrever / cadastrar, etc., clique nos links abaixo:


quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Conselheiro tutelar poderá ter imunidade em opiniões e votos


05/09/2011 14:23
Luiz Alves
Dr. Ubiali
Segundo Dr. Ubiali, o objetivo da proposta é proteger as opiniões dos conselheiros.
Os conselheiros tutelares que trabalham com crianças e adolescentes poderão ter imunidade em suas opiniões, palavras e votos. A medida consta no Projeto de Lei 1029/11, do deputado Dr. Ubiali (PSB-SP), que tramita na Câmara.
A proposta altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA - Lei 8.069/90), que criou a figura dos conselhos titulares, responsáveis pela aplicação das normas de proteção previstas pelo ECA nos municípios. Cada conselho é composto por no mínimo cinco pessoas escolhidas na comunidade onde atuam.
Segundo o deputado, a proposta objetiva proteger as opiniões dos conselheiros proferidas em deliberações dentro do órgão. O ECA determina que a aplicação de medidas de proteção a crianças e adolescentes deve ser precedida de votação nos conselhos tutelares.
Projeto semelhante (PL 5523) foi apresentado em 2009 pelo deputado licenciado Márcio França (PSB-SP), mas não chegou a ser votado pela Câmara.
Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; e Constituição e Justiça e de Cidadania.

Câmara aprova data única para eleição de conselheiros tutelares

25/08/2011 12:31
 
Arquivo - Edson Santos
Sandra Rosado
Sandra Rosado apresentou parecer favorável ao projeto.
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou nesta quinta-feira o Projeto de Lei 6549/09, do deputado Neilton Mulim (PR-RJ), que marca para o segundo domingo de julho a eleição dos integrantes dos conselhos tutelares municipais, encarregados de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente. Segundo o projeto, o pleito será feito de forma simultânea em todos os municípios.
O projeto foi aprovado em caráter conclusivo e seguirá para o Senado, a menos que haja recurso para ser votado pelo Plenário da Câmara.
O projeto acrescenta artigo ao Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90). A lei diz que, em cada município, haverá, no mínimo, um conselho tutelar composto de cinco membros, escolhidos pela comunidade local para mandato de três anos, permitida uma recondução. Porém, o estatuto não especifica data e regras para a eleição dos conselheiros.
Segundo o texto aprovado, será admitida, em caráter excepcional, a prorrogação de mandato dos conselheiros tutelares até a data de posse dos primeiros conselheiros eleitos nos termos do projeto. O objetivo é evitar problemas de continuidade no funcionamento dos conselhos.
A relatora na CCJ, deputada Sandra Rosado (PSB-RN), recomendou a aprovação da proposta. Ela apresentou emenda de redação que não altera o conteúdo do projeto.

caráter excepcional: "Rito de tramitação pelo qual o projeto não precisa ser votado pelo Plenário, apenas pelas comissões designadas para analisá-lo. O projeto perderá esse caráter em duas situações: - se houver parecer divergente entre as comissões (rejeição por uma, aprovação por outra); - se, depois de aprovado ou rejeitado pelas comissões, houver recurso contra esse rito assinado por 51 deputados (10% do total). Nos dois casos, o projeto precisará ser votado pelo Plenário".

domingo, 4 de setembro de 2011

A FOME NO MUNDO ATUAL - UM PROBLEMA SEM SOLUÇÃO

O que é a fome ?

A fome é a escassez de alimentos que, em geral, afeta uma ampla extensão de um território e um grave número de pessoas.

A fome no mundo

  • Cerca de 100 milhões de pessoas estão sem teto;
  • 1 bilhão de analfabetos;
  • 1,1 bilhão de pessoas vivem na pobreza, destas, 630 milhões são extremamente pobres, com renda per capta anual bem menor que 275 dólares;
  • 1,5 bilhão de pessoas sem água potável;
  • 1 bilhão de pessoas passando fome;
  • 150 milhões de crianças subnutridas com menos de 5 anos (uma para cada três no mundo);
  • 12,9 milhões de crianças morrem a cada ano antes dos seus 5 anos de vida;
  • No Brasil, os 10% mais ricos detêm quase toda a renda nacional.

Causas da Fome

Causas naturais:

  • Clima;
  • Seca;
  • Inundações;
  • Terremotos;
  • As pragas de insetos e as enfermidades das plantas.

Causas humanas:

  • Instabilidade política;
  • Ineficácia e má administração dos recursos naturais;
  • A guerra;
  • Os conflitos civis;
  • O difícil acesso aos meios de produção pelos trabalhadores rurais, pelos sem-terras ou pela população em geral;
  • As invasões;
  • Deficiente planificação agrícola;
  • A injusta e antidemocrática estrutura fundiária, marcada pela concentração da propriedade das terras nas mãos de poucos;
  • O contraste na concentração da renda e da terra num mundo subdesenvolvido;
  • A destruição deliberada das colheitas;
  • A influência das transnacionais de alimentos na produção agrícola e nos hábitos alimentares das populações de Terceiro Mundo;
  • A utilização da "diplomacia dos alimentos" como arma nas relações entre os países;
  • A relação entre a dívida externa do Terceiro Mundo e a deteriorização cada vez mais elevada do seu nível alimentar;
  • A relação entre cultura e alimentação.
Fome e pobreza.

Causas da fome crônica e desnutrição

  • Pobreza;
  • Distribuição ineficiente dos alimentos;
  • Reforma agrária precária;
  • Crescimento desproporcional da população em relação à capacidade de sustentação.

Fome infantil

Cerca de 5 a 20 milhões de pessoas falecem por ano por causa da fome e muitas delas são crianças.
Inanição infantil na Nigéria

Conseqüências da fome

As conseqüências imediatas da fome são a perda de peso nos adultos e o aparecimento de problemas no desenvolvimento das crianças. A desnutrição, principalmente devido a falta de alimentos energéticos e proteínas, aumentam nas populações afetadas e faz crescer a taxa de mortalidade, em parte, pela fome e, também, pela perda da capacidade de combater as infecções.

Classe dominante

Alterar essa situação significa alterar a vida da sociedade, o que pode não ser desejável, pois iria contrariar os interesses e os privilégios em que se assentam os grupos dominantes. É mais cômodo e mais seguro responsabilizar o crescimento populacional, a preguiça do pobre ou ainda as adversidades do meio natural como causas da miséria e da fome no Terceiro Mundo.

O Brasil e a fome

O Brasil é o quinto país do mundo em extensão territorial, ocupando metade da área do continente sul-americano. Há cerca de 20 anos, aumentaram o fornecimento de energia elétrica e o número de estradas pavimentadas, além de um enorme crescimento industrial. Nada disso, entretanto, serviu para combater a pobreza, a má nutrição e as doenças endêmicas.
Em 1987, no Brasil, quase 40% da população (50 milhões de pessoas) vivia em extrema pobreza. Nos dias de hoje, um terço da população é mal nutrido, 9% das crianças morrem antes de completar um ano de vida e 37% do total são trabalhadores rurais sem terras.
Há ainda o problema crescente da concentração da produção agrícola, onde grande parte fica nas mãos de poucas pessoas, vendo seu patrimônio aumentar sensivelmente e ganhando grande poder político.
A produção para o mercado externo, visando à entrada de divisas e ao pagamento da dívida externa, vem crescendo, enquanto a diversidade da produção de alimentos dirigida ao mercado interno tem diminuído, ficando numa posição secundária. Ao lado disso, milhões de pessoas vivem em favelas, na periferia das grandes cidades, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, entre outras. O caso das migrações internas é um problema gerado dentro da própria nação. Grande parte dos favelados deixou terras de sua propriedade ou locais onde plantavam sua produção agrícola. Nos grandes centros, essas pessoas vão exercer funções mal pagas, muitas vezes em trabalho não regular. Quase toda a família trabalha, inclusive as crianças, freqüentemente durante o dia inteiro, e alimenta-se mal, raramente ingerindo o suficiente para repor as energias gastas. Nesse círculo vicioso, cada vez mais famílias se aglomeram nas cidades passando fome por não conseguir meios para suprir sua subsistência

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Assédio moral nas escolas

O assédio moral, ilícito e muitas vezes silencioso, traz conseqüências desastrosas para o vitimizado e para a sociedade. Ele tem como pano de fundo uma questão crucial nos dias de hoje: a ética. Vivemos uma crise ética que desemboca na quebra nos Direitos Fundamentais da Pessoa Humana, como a lesão à dignidade. O assédio moral nas escolas, causa danos profundos no indivíduo, e na sociedade onde está inserido; importante se faz refletir como combatê-lo a fim de assegurar um bom ambiente à pessoa em desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e dignidade conforme prescrito no  Estatuto da Criança e do Adolescente ( ECA). É necessária a prevenção, a compensação e até a penalidade para que cada ente assuma o seu papel responsavelmente. Parte-se do suposto que é na escola que o indivíduo tem o papel de ser orientado e cuidado para que exerça a cidadania de forma ampla, capaz de internalizar seus deveres e ser detentor de seus direitos. Quando ocorre o assédio moral nesse ambiente, quebra-se um elo de ouro na educação. A dor da humilhação provocada por ela fere o indivíduo reduzindo-o a um quase nada. Leve-se em conta a resiliência: capacidade humana de lidar, superar, aprender ou mesmo ser transformado com adversidade inevitável da vida. O desafio é encontrar o caminho para promover a resiliência em indivíduos, em famílias, comunidades. A resiliência é uma força de resistência e de recuperação... Como saber que aquele indivíduo que sofreu o assédio na infância e adolescência terá a resiliência suficiente para superar a agressão?  Assédio Moral entre Superiores (professores, coordenação, direção, entre outros) e alunos: é conhecido como assédio vertical, devido à relação hierárquica estabelecida entre as partes.  Pode ser: 1- Assédio Descendente: quando o assediador é o superior e a vítima  o aluno; 2- Assédio Ascendente: assediador é o aluno e a vítima o professor, inimaginável há tempos atrás, pode provocar uma desestabilização da ordem mínima para atividade educacional adequada.Falando do assédio descendente, foco do artigo, sua identificação pode ser iniciada por queixas explícitas da vítima, aos seus pais ou responsáveis. Porém nem sempre estes acreditam em tais queixas, visto que estes sabem da importância da disciplina na educação. Assim, a qualificação do assédio moral fica prejudicada, perpetuando o problema até conseqüências mais graves possam ser observadas. O assédio nos remete à questão da ética e da moral, tentando entender as motivações do assediador, identifica-se um indivíduo "destituído das virtudes típicas dos cidadãos de alma nobre". O manipulador do assédio moral é movido por diversas razões, que variam de inveja ao desejo do poder, é certo que a virtude moral é decorrente do hábito e não da natueza humana. Aqui encontramos o "bullying", termo que vem do inglês: to bully, que significa tratar com desumanidade, com grosseria; e bully é uma pessoa grosseira e tirânica que ataca os mais fracos. A partir daí pode-se imaginar as conseqüências e o desenvolvimento dos distúrbios psicossomáticos da vítima: emagrecimento ou aumento de peso, disturbios digestivos (gastrites, colites, ulceras), distúrbios endócrinos (tiróide), hipertensão arterial, vertigens, doenças de pele, etc... O assédio moral pode provocar uma destruição da identidade e influenciar por muito tempo no temperamento da pessoa. "Pode-se curar um ferimento causado pela espada, mas não um ferimento causado pela palavra". É na escola que devemos assegurar os princípios fundamentais da Carta Magna, não apenas visando a punição do assediadores, mas, sobretudo elaborando uma política de prevenção, com o fim de assegurar a formação do indivíduo para que ele se torne um cidadão ético e equilibrado para ser capaz de contribuir para evolução da humanidade. É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor. (Art. 18 do ECA). Algumas categorias envolvendo constrangimento e humilhação:

- agressão física: ameaçar ou agredir fisicamente o aluno, atirar objetos no aluno para chamar sua atenção
- agressão verbal ao aluno: usar de forma abusiva a autoridade, tratar de forma pejorativa o aluno com palavras de baixo calão
- ameaças aos alunos: aumentar o nível da dificuldade das provas, ameaçar reprovar a turma se não estudarem, ameaçar de expulsão quem opina em sala de aula.
- acusação agressiva e sem prova: alegar de forma agressiva e sem prova que os alunos colaram revistar de forma agressiva o material dos alunos.
- assédio sexual: assediar sexualmente o aluno convidando-o a ir à casa do professor, incitando-o a manter relações sexuais proponde-lhe permuta de notas
- comentários depreciativos, preconceituosos ou indecorosos: sobre orientação sexual, aparência ou deficiência física, criticar a profissão do aluno, criticar religião, queixar-se em sala de aula ou perante outros alunos da vida pessoal do aluno, tecer comentários pejorativos sobre habilidades, seu nome
- tratamento discriminatório: devido a aparência física ou condição financeira, discriminar alunos com idade mais avançada, privilegiar alunos com maior facilidade de aprendizagem
- rebaixamento da capacidade cognitiva dos alunos: comparar alunos de forma irônica, aconselhar alunos a abandonar curso alegando incapacidade do mesmo, enaltecer conhecimentos próprios, fazer comentários em público sobre dificuldades, desempenho e erros dos alunos
- desinteresse e omissão; não repassar orientações para trabalhos, desinteresse ao ministrar conteúdo
- uso inadequado de instrumentos pedagógicos: exercícios valendo nota, prova sem tempo hábil.
Assim, termino: "O homem é um animal cheio de mansidão e de essência divina, se é tornado manso por meio de uma verdadeira educação; se, pelo contrário, não recebe nenhuma ou a recebe falsa torna-se o mais feroz de todos os animais que a terra produz".